Dipsomania ou alcoolismo, quais as diferenças?

A dipsomania e o alcoolismo combinam uma necessidade irreprimível de beber álcool, mas não é exatamente a mesma coisa, explica o professor Michel Lejoyeux, chefe do departamento de psiquiatria e adicção do hospital Bichat.

O que é dipsomania?

A dipsomania é uma forma relativamente rara de alcoolismo caracterizada pela ingestão de grandes quantidades de um líquido tóxicona maioria das vezes álcool, então impulsivo. Na realidade, este termo da psiquiatria já não é usado hoje, falamos antes de “beber demais“. “Inicialmente, a dipsomania foi descrita na medicina como raiva de beber, com pacientes que foram tomados por um desejo furioso e brutal de beber até perderem a consciência. A dipsomania diz respeito principalmente a jovens adultos ou mesmo adolescentes em busca de um “barato” porque o produto mais legal e mais barato para ficar chapado é o álcool.comenta o professor Michel Lejoyeux.

Quais são os sintomas?

Dipsomania refere-se a qualquer alcoolismo paroxístico ou agudo em busca de intoxicação. Este distúrbio se manifesta como um desejo repentino e irreprimível de consumir álcool. O indivíduo perde o controle durante as crises, às vezes chegando ao ponto perda de consciência devido a coma alcoólico.

Diferenças com o alcoolismo?

Ao contrário do alcoolismo por consumo crónico, a dipsomania não se refere a beber todos os dias, mas beber aos trancos e barrancos. Para dipsomania ocorre em crises que pode ser pontuado por períodos de abstinência. “Existem duas maneiras de adoecer por causa do álcool: bebendo regularmente e tendo danos ligados ao consumo regular de álcool ou bebendo abruptamente, episodicamente“, explica o especialista.

O tratamento da dipsomania é semelhante ao do alcoolismo em geral. É baseado no desmame alcoólico, Associado a acompanhamento psiquiátrico. Alguns tratamentos medicinal pode ser oferecido para reduzir o desejo por álcool. É muito raro ver pacientes que sofrem de dipsomania pura sem terem, ao mesmo tempo, consumo regular e tóxico de álcool.

Agradecimentos ao professor Michel Lejoyeux, chefe do departamento de psiquiatria e adictologia do hospital Bichat, autor do livro Em boa saúde com Montaigne (Ed. O livro de bolso).

Related Articles

Back to top button