Guerra na Ucrânia. Perante a ONU, Volodymyr Zelensky acusa a Rússia de “genocídio”

A transferência pela Rússia de “dezenas de milhares” de crianças ucranianas para os territórios que ocupa na Ucrânia é “claramente um genocídio”, acusou esta terça-feira o presidente ucraniano na ONU. Volodimir Zelenskyenquanto o A contra-ofensiva ucraniana continua no leste do seu país.

“Conhecemos os nomes de dezenas de milhares de crianças e temos provas de centenas de milhares de outras sequestradas pela Rússia dos territórios ocupados da Ucrânia e depois deportadas”, denunciou. “Estamos tentando levar essas crianças para casa, mas o tempo está se esgotando. Oque vai acontecer com eles? Na Rússia, ensinam-lhes o ódio à Ucrânia e todos os laços com as suas famílias são cortados. É claramente um genocídio”, denunciou o presidente, sob o olhar do vice-embaixador russo na ONU, Dmitry Polyanskiy, presente à mesa russa.

O Tribunal Penal Internacional emitiu um mandado de prisão contra Vladimir Putin pela “deportação ilegal” de milhares de crianças ucranianas desde fevereiro de 2022. Acusações rejeitadas por Moscovo.

“A Rússia está a usar os preços dos alimentos como arma”

Num discurso que foi aplaudido diversas vezes, o presidente também criticou o fato de a Rússia possuir um arsenal nuclear. “Os terroristas não têm o direito de possuir armas nucleares”, insistiu. “A Rússia está a usar o preço dos alimentos (…) e a energia nuclear como arma”, acusou ainda. Finalmente, reiterou o seu apelo à organização de uma “cimeira de paz mundial”. “Convido todos vocês – todos aqueles que não toleram qualquer agressão – a prepararem conjuntamente esta cimeira”, insistiu.

A Ucrânia lançou um diálogo sobre o plano de paz de 10 pontos do seu presidente, realizando reuniões em Junho e Agosto em Copenhaga e depois em Jeddah, na Arábia Saudita, com a presença de representantes de dezenas de países.

Related Articles

Back to top button